O estopim da retomada de discussões de política cultural democrática e coletiva no município de Rio Claro foi dado pelos encontros presencias promovidos pelo Marcô (Movimento Arte Cultura Rio Claro) – grupo de emails criado com a intenção de funcionar como um Fórum Virtual Permanente sobre principalmente Arte e Cultura na Cidade de Rio Claro/SP (e “Região”). Essa perspectiva passa pela construção da Conferência Municipal de Cultura e sua inserção no Sistema Nacional de Cultura.


Não é nenhuma novidade a política cultural de subvenção que vigora a várias administrações no município. Tal política se caracteriza como uma modalidade de transferência de recursos para organizações (governamentais e não-governamentais) e se restringe a sanar apenas despesas de custeio. Seus efeitos são perversos, pois ao mesmo tempo em que cria uma elite cultural local precariza os mesmos grupos beneficiados por não abarcar, por exemplo, a questão do investimento (fundamental para grupos que trabalham com cinema, por exemplo). Essa relação entre grupos privilegiados e o poder público, lembra, grosso modo, o que Caio Prado Júnior denominou, a mais de 50 anos, como Capitalismo burocrático – confusão de interesses público e privados.


É preciso lembrar, contudo, a sensibilidade da atual administração em perceber a efervescência da sociedade civil e, junto com ela, compor nesse processo de construção da Conferencia Municipal de Cultura. Exemplo disso foi a organização da 1ª Pré- Conferencia (no primeiro semestre) e as reuniões abertas chamadas junto á população.


O Setor Audiovisual do município de Rio Claro vem, ao longo do ano, participando com entusiasmo desse processo principalmente com o protagonismo de três grupos: Kino-olho com sua larga experiência em produções no município com seu Cinema Caipira; Núcleo Audiovisual de Guerrilha Fudidos&Malpagos com seu viés crítico e coletivo no fazer cinema, e o I-mago: laboratório da imagem, experiência e cri[@]ção, grupo da UNESP Rio Claro que trabalha com Educação, Experiência e produção imagética com crianças, professores, usuários de saúde mental...


Tal articulação entre grupos tão diferentes acabou por potencializar o processo de construção de políticas no setor e está reverberando na realização do 1º Fórum Municipal do Audiovisual na próxima 4ª feira dia 14, ás 9h, no Auditório do IB na UNESP com a presença do presidente do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC), o rio-clarense João Batista Pimentel Neto.


Na perspectiva de estimular e fomentar a produção local foi elaborado uma série de propostas para o Setor. A principal diz respeito à criação de um Centro Público de Audiovisual com estúdio e equipamentos. A idéia é não só potencializar o trabalho dos grupos já constituídos, mas criar condições para a emergência de outros grupos e pessoas interessadas na área.





Fórum Municipal de Audiovisual: 14.09 - 9h - Auditório IB UNESP
Pré-Conferência Municipal do Setor Audiovisual : 15.09 – 20:30h - Auditório IB UNESP




Atividades incluídas no I Seminário do I-mago - imagens para (des)focar e VII Seminario sobre linguagens -políticas de subjetivação - educação - cultura e formação: imagens e encontros

|

0 opinaram

Postar um comentário

Siga o CultCPS!


          RSS    

Últimas do Twitter


Últimos comentários


Tetê-a-Tetê Digital!

Crítica, sugestões, pitacos, imprensa, colaborações, dicas culturais, releases e afins, nos contate pelo e-mail cultcps@gmail.com

Arquivo do blog

Visitando agora